FCPAméricas Blog

Miller & Chevalier Publica os Resultados da Pesquisa Anticorrupção Latino Americana 2016

Author: Matteson Ellis

2016 LACS Results_Blog ImageA versão original desse blog post foi escrita em inglês. A tradução não foi realizada ou revisada pelos autores.

Apesar de mais de três quartos dos empresários indicando que as leis anti-corrupção do seu país são ineficazes, a Pesquisa Anticorrupção Latino Americana 2016 lançado pela Miller & Chevalier Chartered e 13 escritórios de advocacia da América latina mostra sinais evidentes de melhoria âmbito regional em medidas de conformidade corporativa.

Em abril e maio de 2016, Miller & Chevalier e 13 escritórios de advocacia da América Latina distribuíram a pesquisa para executivos de empresas sediadas em 19 países que trabalham em um amplo leque de indústrias. 637 indivíduos completaram o estudo, que foi disponibilizado em Inglês, Espanhol e Português.

Principais resultados incluem:

  • Leis Anticorrupção Geralmente Consideradas Inficazes: Mais de três quartos (77%) dos entrevistados acreditam que as leis anticorrupção de seu país são ineficazes, e cerca de metade (48%) diz que a corrupção é um obstáculo significativo para se fazer negócios. Mais da metade (52%) acredita que perdeu negócios para concorrentes corruptos; desses, a maioria (89%) diz que não relatou tal má conduta para as autoridades. 71% das pessoas que fizeram denúncias dizem que o governo não investigou. Estes resultados são altamente consistentes com respostas dadas para as mesmas perguntas em 2008 e 2012.
  • Aumento da Familiaridade com a FCPA: Quase três quartos dos entrevistados (72%) na região estão familiarizados com a Foreign Corrupt Practices Act (“FCPA”), acima dos 65% em 2012. 58% dos entrevistados de empresas locais/regionais são um pouco ou muito familiarizadas com a FCPA, acima dos 47% em 2012. Mesmo entre os entrevistados cujas empresas parecem não estar sujeitas à FCPA, quase três quartos estão muito familiarizados ou um pouco familiarizados com a FCPA, sugerindo que a lei está tendo um grande impacto na região.
  • Quase Todos os Entrevistados Consideram Empresas Públicas e Partidos Políticos Corruptos: Ao contrário dos anos anteriores, a pesquisa deste ano analisa as percepções de corrupção dos entrevistados entre partidos políticos e empresas estatais, como companhias de petróleo nacionais e hospitais públicos. 92% dos entrevistados associam corrupção moderada ou significativa com os partidos políticos, e 93% dos entrevistados dizem o mesmo sobre empresas estatais.
  • Argentina, Brasil, México e Venezuela Vistos Como as Grandes Economias Mais Corruptas: Das principais economias (mais de US$ 100 bilhões em PIB), Argentina, Brasil, México e Venezuela são vistos como os mais corruptos da região, descoberta consistente com posicionamentos de 2012, quando a Argentina, México e Venezuela foram classificados como os mais corruptos. Sem surpresa, o Brasil se juntou a este grupo, devido aos grandes esquemas de suborno divulgados nos últimos anos.
  • Empresas Adotando Cada Vez Mais Ferramentas Para Mitigar Riscos de Suborno por Terceiros: Os esforços de empresas regionais e multinacionais para gerenciar os riscos de corrupção nas relações com terceiros, tradicionalmente uma das maiores áreas de risco de corrupção sob a FCPA e leis anticorrupção semelhantes, aumentaram notavelmente na região. Mais empresas estão implementando due diligence e práticas de monitoramento, e incorporando salvaguardas contratuais em seus acordos com terceiros.
  • Divergência nos Países Adotando Iniciativas de Compliance Internacional: A pesquisa mostra um crescimento excepcional nos esforços de compliance anticorrupção em determinados mercadoschave (Brasil, Colômbia, México e Estados Unidos), enquanto outros mercados ficaram para trás no engajamento com melhores práticas de compliance internacional (Bolívia, República Dominicana, El Salvador, Guatemala, Honduras, Nicarágua, Panamá, Paraguai e Venezuela), sinalizando o surgimento de uma diversificada gama de contextos de compliance em toda a região.

A full copy of the survey results and analysis are available here. A link to the survey results infographic is available here.

As opiniões expressas nesse post são pessoais do(s) autor(es) e não necessariamente são as mesmas de quaisquer outras pessoas, incluindo entidades de que os autores são participantes, seus empregadores, outros colaboradores do blog, FCPAméricas e seus patrocinadores. As informações do blog FCPAméricas têm fins meramente informativos, sendo destinadas à discussão pública. Essas informações não têm a finalidade de proporcionar opinião legal para seus leitores e não criam uma relação cliente-advogado. O blog não tem a finalidade de descrever ou promover a qualidade de serviços jurídicos. FCPAméricas encoraja seus leitores a buscarem advogados qualificados a fim de consultarem sobre questões anticorrupção ou qualquer outra questão jurídica. FCPAméricas autoriza o link, post, distribuição ou referência a esse artigo para qualquer fim lícito, desde que seja dado crédito ao(s) autor(es) e FCPAméricas LLC.

© 2016 FCPAméricas, LLC

Matt Ellis

Post authored by Matt Ellis, FCPAméricas Founder & Editor

Categories: Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Compliance Anticorrupção, Costa Rica, Empresas Públicas, Equador, FCPA, Guatemala, LA Corruption Survey, México, Panamá, Paraguai, Peru, Português, Terceiros, Venezuela

CommentsComments | Print This Post Print This Post |

Leave a Comment

Comments

Leave a Reply


FCPAmericas

Subscribe to our mailing list

* indicates required

View previous campaigns.

Close